top of page

O Protagonismo Brasileiro na Agenda Climática rumo à COP30

O Brasil busca alinhar discussões sobre as mudanças climáticas como anfitrião da COP30, consolidando sua posição proeminente na Agenda Climática.

 

Após um período de distanciamento, o Brasil retomou seu papel nas questões climáticas em 2023, reafirmando seu compromisso com a agenda global. Com o aumento da importância em volta de temas ligados ao desenvolvimento sustentável e mitigação climática, o Brasil enfrenta pressão internacional para se posicionar como um emblema na causa, especialmente por ser o país com maior participação territorial na Amazônia. Na COP28, liderada pelo presidente Lula, o Brasil focou na redução do desmatamento e na promoção de energia renovável, ressaltando a importância da Amazônia na absorção de dióxido de carbono e em seu papel fundamental para a manutenção do planeta.


A diversidade de representantes do governo, setor privado, academia e sociedade civil, reflete a abordagem inclusiva do Brasil nas questões climáticas, com a maior delegação da história, cerca de 3000 delegados. Ademais, o destaque para a preservação da cultura nativa na Amazônia, bastante abordado em painéis na COP28, é vital para o comércio sustentável, promovendo práticas responsáveis e produtos sustentáveis. Isso valoriza as tradições nativas, fomenta uma abordagem ética no comércio e estabelece uma ligação com as comunidades locais, promovendo desenvolvimento equitativo e preservação da biodiversidade.


Durante a COP28, a delegação brasileira enfatizou a redução do desmatamento em mais de 40% desde janeiro como ponto crucial. O compromisso do Brasil em atingir a neutralidade de carbono, até 2050, evidencia a busca do governo por soluções ambientais. À medida que nos aproximamos da COP29, as expectativas concentram-se na definição de um novo padrão para o financiamento da ação climática, um passo vital para assegurar recursos necessários à implementação de políticas climáticas e ao cumprimento de compromissos definidos no Acordo de Paris.


Além disso, a COP30, marcada para 2025 em Belém, é um marco histórico, sendo a primeira vez que o Brasil sediará o evento. As discussões focarão na conclusão do balanço global (Global Stocktake), que monitora e avalia a implementação das metas do Acordo de Paris, e o novo plano quinquenal para os países que adotam o Acordo de Paris. Isso reforça o Brasil como líder ativo em estratégias climáticas globais, o que é coerente à política do governo atual. A proximidade com a sede do G20 em 2024 e a possibilidade de sediar a cúpula dos BRICS em 2025, fortalecem a presença do Brasil em eventos internacionais, permitindo exercer influência em diversas arenas globais.



Autora:

Camille Vaz - Jovem Aprendiz de Comércio Internacional da BMJ Consultores Associados

Σχόλια


bottom of page